16 junho 2013

Marley & Eu: A vida e o amor ao lado do pior cão do mundo.

Nome Original: Marley & Me
Autor: John Grogan 
Editora: Ediouro
N°de páginas:  302
Narrador: Personagem
Categoria: Biografia

Sinopse:
John e Jenny eram jovens, apaixonados e estavam começando a sua vida juntos, sem grandes preocupações, até ao momento em que levaram para casa Marley, "um bola de pêlo amarelo em forma de cachorro", que, rapidamente, se transformou num labrador enorme e encorpado de 43 quilos. 

Era um cão como não havia outro nas redondezas: arrombava portas, esgadanhava paredes, babava nas visitas, comia roupa do varal alheio e abocanhava tudo a que pudesse. De nada lhe valeram os tranqüilizantes receitados pelo veterinário, nem a "escola de boas maneiras", de onde, aliás, foi expulso. Mas, acima de tudo, Marley tinha um coração puro e a sua lealdade era incondicional. Imperdível.

Resenha:
Dá para amar um cachorro que destrói paredes, come carpetes e secretárias eletrônicas, não obedece e arrasta mesas de restaurantes ? Um cachorro gigantesco - um labrador com nada menos que 44kg - , que mesmo sendo elétrico, acalma-se e fica do lado de quem teve uma perda inabalável ?
Marley pode ter sido o pior cão do mundo - começando com a lista de tudo o que come. Mas, ele ensina, para uma família, desde o começo, o que é se sentir especial.
Um cão é melhor que um ser humano? Sim. John Grogan pode ter vivido com Marley por 13 anos, e eu, por dois dias, mas com ele aprendi a apreciar coisas pequenas - um afago na cabeça, um olhar carinhoso, um pôr do sol -, e que nós, seres humanos, mesmo sendo tão mais complexos e sofisticados, não percebemos as coisas realmente importantes para nós. Marley me ensinou, principalmente, a receita da felicidade simples: amar quem nos ama, e proporcioná-los pequenos momentos de alegria.

"Poderíamos ter comprado um pequeno iate com o que nós gastamos com nosso cachorro e tudo o que ele destruiu. Mas, me pergunto: quantos iates ficam esperando junto à porta o dia inteiro até você voltar? Quantos vivem esperando a chance de subir no seu colo, ou descer a colina com você em um tobogã, lambendo o seu rosto?"
Página 235


2 comentários:

  1. Eu vi o filme e gostei bastante, mas não tive coragem de ler o livro, até tenho ele mas me disseram que o livro é mais triste que o filme então resolvi não ler. Mas eu sou apaixonada por cães e já tive problemas com destruição ehehe, meu basset houd comeu a parede, portas e móveis rsrsrs, mas o amor é maior troco o ap os móveis mas jamais ele.


    Beijão

    ResponderExcluir
  2. Ana Beatriz Domingues6 de julho de 2013 14:48

    Leia, sério. O livro é sim, mais triste do que o filme, por que você lê os sentimentos do Grogan, afora todas as coisas que não são colocadas no livro. Mas você riu com o filme? Então irá rir muito mais com o livro.

    Cães com amor por paredes, chão, móveis e tudo mais são os melhores, não? O meu rotweiller tem uma paixão por comer chinelos. Apenas aquela bolinha do pé esquerdo. Já foram 14 em um ano e sete meses de vida. Mas como não amar quando fazem aquela carinha de "desculpa mamãe" ?

    ResponderExcluir