11 agosto 2013

Predestinados

Nome Original: Starcrossed
Autor: Josephine Angeline
Editora: Intrínseca
Ano: 2012
N° de páginas: 320
Categoria: Ficção; Mitologia.
Narrador: Observador

Sinopse
Helen Hamilton passou a vida inteira tentando disfarçar o fato de que é uma garota diferente, mas agora, aos dezesseis anos, isso está mais difícil. Não apenas por causa de sua força sobre-humana, ou porque às vezes, sem motivo aparente, pessoas estranhas simplesmente a atacam, mas também porque ela teme que seu juízo esteja seriamente comprometido. Pesadelos recorrentes com uma estranha viagem pelo deserto e a visão de três mulheres derramando lágrimas de sangue a tem atormentado noite e dia. Ao mesmo tempo, um impulso inexplicável, incontrolável, passa a dominar seus pensamentos: Helen quer matar Lucas, membro da misteriosa família Delos. À medida que descobre mais sobre sua verdadeira origem, percebe que a relação de ambos está submetida não só à sua vontade, mas a forças e tradições ancestrais.

Resenha

Predestinados é baseado na obra Ilíada, de Homero.  A feliz combinação de mitologia grega e romance faz com que o livro seja imediatamente comparado a Crepúsculo e Percy Jackson e os olimpianos..

Reação antes de ler o livro: MITOLOGIA? SEMIDEUSES E BAGAÇAS DO GÊNERO ? OH MEU BOM DEUS QUE CAPA LINDA POR QUE NÃO TEM MAIS CAPAS LINDAS DESSA MANEIRA? E ESSE VESTIDO ESVOAÇANTE EU QUERO UM PRA MIM CREPÚSCULO MAIS PERCY JACKSON SÓ PODE DAR MARAVILHAS AHHHHH NECESSITO DESTE LIVRO PARA ONTEM COMO NUNCA OUVI FALAR DELE DEVE SER UMA MARAVILHA DE LIVRO E ALGUÉM ME SEGURA E...

Reação pós-livro: Magoada.
Quando li "combinação de Crepúsculo e Percy Jackson", minha mente divagou para algo ligado à um mundo com os DOIS mundos, vampiros e semideuses, com um roteiro novo (Nada que brilha). Mas não, NÃO, Deus meu, não foi nada disso. Minha mente voava para as coisas interligadas, e eu pensava "Já li isto em algum lugar", e era muito Crepúsculo. Percy Jackson? NADA. O que, com todo respeito à autora, que, mesmo com uma escrita decepcionante me prendeu à história, é um alívio para mim. Há apenas Mitologia Grega, mais precisamente reservada à Guerra de Troia. E, há um erro fatal no livro, com relação à mitologia, que me fez literalmente largá-lo e recusar-me a ler durante mais de uma semana (foi numa parte boa, a única razão pela qual o peguei novamente). Este foi, definitivamente, a razão para eu começar a repensar cada parte do livro e descobrir o quanto de Crepúsculo há nele.


Tem ritmo lento, poucas cenas de ação, há vários furos na história, trechos que nos deixam confusos, muitas coisas sem explicação. Como demonstra que há mitologia grega, deveria ter pelo menos referências, mas nem isto.
E há as personagens. Poucos me agradaram. E os que o fizeram mal apareciam na história. Não me identifiquei com eles. Temos Helen, a mais linda e amada, que se recusa terminantemente a aceitar o fato (Bella). Temos Lucas, perfeito, poderoso, lindo e rico (Sentiu o Edward na história?). Há essa história de amor à primeira vista, um amor proibido. Mas proibido por quê? Por mais que tente explicar, é completamente confuso. A melhor personagem para mim foi Cator, o único que parecia neutro, buscava soluções, o mais antigo e mais familiarizado com a tradição da Família Delos e, mesmo assim, dá pra ver que o cara é um PLÁGIO DO CARLISLE, que era minha personagem favorita na Saga Crepúsculo. E as personagens secundárias mal são mencionadas, não temos sequer traços de suas personalidades.

Críticas positivas? Sim. Há uma escrita convidativa, há um fundo de história interessante, há uma certa originalidade quando nós tratamos das Quatro Casas, e há, acima de tudo, uma personagem boa, uma personagem misteriosa, cuja aparição ao final do livro causa uma reviravolta total e me deixa nervosa.
Porque me deixou com curiosidade com relação a continuação, e eu não queria continuar com um livro igual à Crepúsculo.






2 comentários:

  1. Oi Bia!
    Sua resenha me assustou um pouco, hehehe! Definitivamente não vou ler o livro...
    Mas enfim, quando eu li sua observação fiquei meio confusa, porque eu tinha a vaga impressão de Afrodite era sim filha de Zeus. Então eu fui procurar.
    Em uma versão, Cronos joga um dos "pedaços" (eca) de Urano no Mar e Afrodite surge (quando eu li isso eu lembrei que já tinha lido isso em PJO), mas tem outra versão em que ela é filha de Zeus e Dione (a deusa das ninfas).
    Então sei lá, talvez o(a) escritor(a) só acreditasse numa versão diferente da do Rick Riordan, né? (:
    Beijocas!

    ResponderExcluir
  2. Ana Beatriz Domingues12 de agosto de 2013 18:41

    Oi Alice. Desculpe, acho que minha resenha foi meio agressiva ... Meio que exagerei.
    Pois é, pesquisei também (tipo, ontem depois que postei a resenha) mas eu achei meio estranho por que ela era toda fiel à versão clássica de Mitologia, e de repente, Afrodite filha de Zeus ... Sei lá, achei estranho.


    Desculpe se te desencorajei com o livro. É que achei tão semelhante à Crepúsculo, que me decepcionei, e acho que carreguei demais na resenha.
    Beijocas <3

    ResponderExcluir