05 agosto 2013

Querido John

Nome Original: Dear John
Autor: Nicholas Sparks
Editora: Novo Conceito
Ano: 2010
N° de páginas: 288
Categoria: Romance
Narrador: Personagem

Sinopse:
“Querido John”, dizia a carta que partiu um coração e transformou duas vidas para sempre.
Quando John Tyree conhece Savannah Lynn Curtis, descobre estar pronto para recomeçar sua vida. Com um futuro sem grandes perspectivas, ele, um jovem rebelde, decide alistar-se no exército, após concluir o ensino médio. Durante sua licença, conhece a garota de seus sonhos, Savannah. A atração mútua cresce rapidamente e logo transforma-se em um tipo de amor que faz com que Savannah prometa esperá-lo concluir seus deveres militares. Porém ninguém previa o que estava para acontecer: os atentados de 11 de setembro mudariam suas vidas e do mundo todo. E assim como muitos homens e mulheres corajosos, John deveria escolher entre seu país e seu amor por Savannah. Agora, quando ele finalmente retorna para Carolina do Norte, ele descobre como o amor pode nos transformar de uma forma que jamais poderíamos imaginar.


Resenha:
O que significa amar verdadeiramente ?
Sparks ama nos fazer chorar, isso  já é fato confirmado. Só que, em Querido John, Sparks nos faz parar para pensar em cada livro sobre várias coisas. Com a primeira frase do livro, nos perguntando sobre o amor verdadeiro, já divagamos para pessoas que amamos.
Não se trata de uma história de amor à primeira vista. É meio fantasioso? Sim - se um estranho pulasse no mar para salvar a minha bolsa eu fugiria de perto do psicopata masoquista, depois de agradecer, claro - mas o que é um bom romance sem as típicas loucuras ? Como dizia, não se trata de amor à primeira vista. John Tyree e Savannah Lynn Curtis se apaixonam um pouco mais a cada dia que passam juntos. E quando o destino - aqui conhecido como Exército - os separam, se apaixonam mais a partir de cada carta trocada. E como qualquer casal, precisam passar a arcar com suas diferenças.
Mas depois de tanto tempo separados, será que ainda sentem a mesma coisa? Será que aquilo que sentiram, através de tão pouco tempo, foi realmente amor ? O tempo é tão capaz de separar quanto de aproximar.



Nenhum comentário:

Postar um comentário