29 novembro 2016

#4



Nem - uma palavra trocada pessoalmente. 
Não depois do papo de banheiro.
Isso foi o suficiente 
para que aquele rosto ficasse gravado na minha mente.
rimando com mente

27 novembro 2016

#11

O acaso me juntou a ela
uma conversa boba
papo bobo
uma fumaça boba.

nos separamos.

nos reencontramos.

nós dançamos e nos juntamos.

não sei quem é
o que bem faz
já não me lembro mais
apenas keep me in mind.

Dollhouse

21 novembro 2016

12 novembro 2016

Lips.

A suavidade que dá vontade de sentir, os leves riscos que formam os lábios de uma garota qualquer.
Significam o mais simples desejo de sentir o toque do seu e único beijo.
Não tenho a sorte em poder afirmar como é sentir teu calor em mim, mas posso imaginar mil e uma coisas que concretizam o quanto é incrível, mesmo sem nunca ter te tocado.
Nunca a vi com ninguém, mais já ouvi papos. Nunca a vi se importar, dizer, ou olhar, nunca troquei uma palavra se quer.
O que prevalece em mim é uma sede de dar água na boca, a cada imagem que passa, cresce cada vez mais.

- G. Marilyn

08 novembro 2016

5 a Seco - eu agora.

Deixa pra lá, que de nada adianta esse papo de agora não dá. Que eu te quero é agora e não posso nem sou de esperar, Que esse lance de um tempo nunca funcionou... pra nós dois. Sempre que der, mande um sinal de vida de onde estiver dessa vez. Qualquer coisa que faça eu pensar que você está bem, Ou deitada nos braços de um outro qualquer... Que é melhor

... do que sofrer de saudade de mim como eu to de você, Pode crer, Que essa dor eu não quero pra ninguém no mundo, Imagina só, pra você! Quero é te ver dando voltas no mundo indo atrás de você, Sabe o que? E rezando "prum" dia você se encontrar e perceber que o que falta em você... sou eu! Deixa pra lá...

02 novembro 2016

Ooh Here

Sabe aquelas músicas que falam sobre como as baladas, apesar de lotadas, são vazias? Se perguntam o que fazem lá, questionam o por quê as pessoas bebem até passar mal, e repetem oooh here.



Aquelas fortes batidas que ecoam no corpo de cada um, cada humano sentindo a vibração da música, do líquido ardente descendo pela garganta, da pele quente que gruda e canta.

Dos entre-olhares se desejando, das bocas desconhecidas se tocando, todo aquele bando se movimentando.

Poderia existir sensação melhor do que estar dopada de uma química livre de limitações ou julgamentos, onde todos vêem você da forma que você os vê. Apenas mais um dançando.
Apenas mais um bebendo.
Apenas mais um fugindo da realidade mundana, fresca e cotidiana que é a sua vida.